Tag para ‘Movie’

 

Como ultimamente eu ando muito caseira – quem me viu quem me vê – tenho assistido muita coisa boa no Popcorn Time. Pensando nisso resolvi dividir com vocês cinco filmes que assisti no aplicativo recentemente que são realmente bons, e valem uma noite e uma boa pipoca. Vamos lá.

1- McFarland USA (2015, Niki Caro)

Sinopse: O filme é a verdadeira história da equipe de Cross Country de uma pequena cidade da Califórnia, McFarland. O filme se passa nos anos 80 quando um técnico em decadência, Jim White (Kevin Costner), aceita trabalhar como professor de biologia e técnico assistente do time de futebol americano da escola, que conta com estudantes latinos em sua maioria. Após conhecer a difícil vida das pessoas da cidade e dos meninos que ensina,  White observa que eles levam jeito para outro esporte.

Por que vale assistir? O filme me lembra muito Coach Carter, é uma história de superação e de como trabalho em equipe é importante nos esportes. É uma história simples e muito bonita.

 

2 – American Sniper (2014, Clint Eastwood)

Sinopse: O filme é um drama biográfico do mais letal atirador da história militar dos Estados Unidos. Criado no Texas, Chris Kyle (Bradley Cooper) aprendeu desde cedo como pegar em um rifle e atirar em animais durante caçadas com seu pai. Quando mais velho se juntou a marinha e conheceu sua esposa Taya (Sienna Miller), e logo após o atentado de 11 de setembro foi enviado ao Iraque pela primeira vez. No total Chris foi a 4 viagens ao país e matou cerca de 255 pessoas, sendo 160 delas confirmadas.

Por que vale assistir? Por que o filme é excelente. É uma história real, baseada em um livro e bateu recordes de bilheteria. Cooper esta excelente como o atirador e podemos ver como é viver o dia a dia de um soldado em ação. Concorreu a seis Oscar em 2015.

 

3 – Whiplash (2015, Damien Chazelle)

Sinopse: Andrew (Miles Teller) é um baterista jovem que sonha em se tornar uma lenda e ser o melhor de sua geração. Com incansáveis horas de treino no conservatório de Shaffer, ele chama a atenção do impiedoso mestre do jazz Terence Fletcher (JK Simmons) e acaba entrando para a orquestra principal do local, que é a melhor escola de música dos Estados Unidos. Com o tempo, seu sonho se torna uma obsessão graças ao abusivo maestro que exige muito do baterista.

Por que vale assistir? O filme é realmente muito bom. Interpretações excelentes, história nova e final bom. O filme concorreu ao Oscar deste ano e foi o grande vencedor do festival de Sundance. Se você gosta de música, não sei por que ainda não assistiu.

 

4 – Two Night Stand (2015, Max Nichols)

Sinopse: Megan (Analeigh Tipton) terminou recentemente seu noivado e passa a maior parte do seu tempo em casa fazendo nada. Um dia sua colega de quarto decide que vai arrastá-la para a balada, porém, chegando no local, Megan dá de cara com seu ex noivo e a nova namorada. Decidida a ter uma boa noite, Megan decide procurar por um encontro “casual” na internet e conhece o interessante Alec (Miles Teller), e logo vai a sua casa. Após uma noite desastrosa, os dois são obrigados a passar o dia juntos graças a uma nevasca.

Por que vale assistir? É o típico filme menininha, romance fofinho água com açúcar mas bem gostoso e leve de assistir. Gostei bastante.

 

5 – The Boy Next Door (2015, Rob Cohen)

Sinopse: O filme conta a história de uma professora recém traída pelo marido, Claire Peterson (Jeniffer Lopez), que cria sozinha seu filho adolescente. Recentemente o jovem e atraente Noah (Ryan Guzman) se muda para casa ao lado da sua e desperta seu interesse por sua beleza. O rapaz logo consegue a confiança de Claire e começa a frequentar sua casa, até que um dia os dois tem uma noite de amor. Decidida de que foi um erro, Claire logo tenta cortar a relação com Noah, porém, o rapaz não pretende deixar isto de lado e cria uma obsessão pela professora.

Por que vale assistir? O filme é bom, a história é interessante, os atores são bonitos (oi?) e eu gosto muito dos trabalhos da Jennifer Lopez. O final do filme deixa um pouco a desejar, mas vale assistir.

Beijos

Thábata

 

 

Os amantes do cinema que ontem ficaram até as 2h da manhã assistindo a premiação mais importante do cinema mundial tiveram uma surpresa. O grande vencedor da noite, com três dos principais prêmios da noite, Melhor Direção, Melhor Ator e Melhor Filme foi o francês O Artista. Pela primeira vez a Academia elegeu como melhor filme do ano um filme de lingua estrangeira, com um porém, o filme é mudo.

A produção francesa é uma comédia romântica, que conta em preto e branco, a história de um ator em declínio e uma atriz em ascensão enquanto o cinema mudo sai de moda. O diretor Michel Hazanavicius recebeu emocionado a estatueta e o ator Jean Dujardin, que ja era um dos favoritos, nem inglês direito falou em seu discurso.

Outra curiosidade foi o prêmio de melhor atriz, para a veterana Maryl Streep, que com o recorde de nomeações (17) recebeu seu terceiro prêmio por interpretar Margareth Tatcher em A Dama de Ferro. Os críticos adoraram seu trabalho. Em seu discurso ela agradeceu seu maquiador que a 37 anos trabalha a seu lado, que também levou o Oscar de melhor maquiagem pelo filme.

O filme de Martin Scorsese ganhou vários prêmios, mas todos técnicos, como melhor fotografia e melhor direção de arte. Christopher Plummer ganhou o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante e foi a pessoa mais velha a ser premiada. Woody Allen levou o melhor roteiro original por Meia Noite em Paris, mas nem compareceu a premiação para recebê-lo.

O que mais gostei no Oscar este ano foi a apresentação dos nomeados a melhor ator e atriz. Os vencedores do ano passado, Nathalie Portman e Colin Firth fizeram pequenos discursos sobre os concorrentes ressaltando suas contribuições para o cinema. Ficou muito íntimo e bonito. O injustiçado da noite foi a animação Rio, que concorria a melhor canção original com Muppets. Com canção de Sérgio Mendes e Carlinhos Brown o filme perdeu a estatueta para uma canção sem graça do clássico americano.

Segue a lista completa:

Filme:
“Cavalo de guerra”
“O artista”
“O homem que mudou o jogo”
“Os descendentes”
“A árvore da vida”
“Meia-noite em Paris”
“História cruzadas”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Tão forte e tão perto”

Diretor:
Michel Hazanavicius – “O artista”

Alexander Payne – “Os descendentes”
Martin Scorsese – “A invenção de Hugo Cabret”
Woody Allen – “Meia-noite em Paris”
Terrence Malick – “A árvore da vida”

Ator:
Demián Bichir – “A better life”
George Clooney – “Os descendentes”
Jean Dujardin – “O artista”
Gary Oldman – “O espião que sabia demais”
Brad Pitt – “O homem que mudou o jogo”

Atriz:
Glenn Close – “Albert Nobbs”
Viola Davis – “Histórias cruzadas”
Rooney Mara – “Os homens que não amavam as mulheres”
Meryl Streep – “A dama de ferro”
Michelle Williams – “Sete dias com Marilyn”

Ator coadjuvante:
Kenneth Branagh – “Sete dias com Marilyn”
Jonah Hill – “O homem que mudou o jogo”
Nick Nolte – “Warrior”
Max Von Sydow – “Tão forte e tão perto”
Christopher Plummer – “Toda forma de amor”

Atriz coadjuvante:
Octavia Spencer – “Histórias cruzadas”

Bérénice Bejo – “O artista”
Jessica Chastain – “Histórias cruzadas”
Janet McTeer – “Albert Nobbs”
Melissa McCarthy – “Missão madrinha de casamento”

Melhor filme em língua estrangeira:
“Bullhead” – Bélgica
“Footnote” – Israel
“In Darkness” – Polônia
“Monsieur Lazhar” – Canadá
“A separação” – Irã

Melhor animação:
“A Cat in Paris”
“Chico & Rita”
“Kung fu panda 2”
“Gato de botas”
“Rango”

Documentário (longa-metragem):
“Hell and Back Again”
“If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front”
“Paradise Lost 3: Purgatory”
“Pina”
“Undefeated”

Roteiro adaptado:
“Os descendentes”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Tudo pelo poder”
“O homem que mudou o jogo”
“O espião que sabia demais”

Roteiro original:
“O artista”
“Missão madrinha de casamento”
“Margin Call”
“Meia-noite em Paris” (Woody Allen)
“A separação”

Fotografia:
“O artista”
“Os homens que não amavam as mulheres”
“A invenção de Hugo Cabret” (Robert Richardson)
“A árvore da vida”
“Cavalo de guerra”

Direção de arte:
“O artista”
“Harry Potter”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Meia-noite em Paris
“Cavalo de guerra”

Figurino:

“Anonymous”
“O artista”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Jane Eyre”
“W.E.”

Maquiagem:
“Albert Nobbs”
“Harry Potter e as relíquias da morte – Parte 2”
“A dama de ferro”

Edição:
“O artista”
“Os descendentes”
“Os homens que não amavam as mulheres”
“A invenção de Hugo Cabret”
“O homem que mudou o jogo”

Edição de som:
“Drive”
“Os homens que não amavam as mulheres”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Transformers: o lado oculto da lua”
“Cavalo de guerra”

Mixagem de som:
“Os homens que não amavam as mulheres”
“A invenção de Hugo Cabret”
“O homem que mudou o jogo”
“Transformers: o lado oculto da lua”
“Cavalo de guerra”

Efeitos visuais:
“Harry Potter e as relíquias da morte – Parte 2”
“A invenção de Hugo Cabret”
“Gigantes de aço”
“Planeta do macacos”
“Transformers: o lado oculto da lua”

Trilha sonora original:
“As aventura de Tintim” – John Williams
“O artista” – Ludovic Bource
“A invenção de Hugo Cabret” – Howard Shore
“O espião que sabia demais” – Alberto Iglesias
“Cavalo de guerra” – John Williams

Canção original:
“Man or Muppet”, de “Os Muppets”, música e letra de Bret McKenzie
“Real in Rio”, de “Rio”, música de Sergio Mendes e Carlinhos Brown, letra de Siedah Garrett

Curta-metragem:
“Pentecost”
“Raju”
“The Shore”
“Time Freak”
“Tuba Atlantic”

Documentário (curta-metragem):
“The Barber of Birmingham: Foot Soldier of the Civil Rights Movement”
“God Is the Bigger Elvis”
“Incident in New Baghdad”
“Saving Face”
“The Tsunami and the Cherry Blossom”

Curta-metragem de animação:
“Dimanche”
“The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore”
“La Luna”
“A Morning Stroll”
“Wild Life”

E então, o que acharam do prêmio?

Beijos

Thábata

 

Tags: , , , ,
Categoria:New
Comentário:0