Tag para ‘Baboseiras da Thábata’

 

“Eu não sei qual é o segredo do sucesso, mas o segredo do fracasso é tentar agradar todo mundo.”

Ontem lendo esta famosa frase de Bill Cosby me deparei com um dilema que sempre foi muito forte na minha vida: agradar os outros. Na minha infância sempre tive medo de decepcionar os outros, de não ouvir um “Parabéns” ou um “Muito bem!”, fiz de tudo por todos, aprendi coisas que nunca me interessaram, fiz coisas que não tinha vontade, mudei meu jeito de se vestir e me portar para me “encaixar” em um modelo do que as pessoas esperavam de mim.

Nunca fui a melhor da turma nem conhecida por meus bons modos, mas sempre olhei para os lados antes de agir e um olhar feio me incomodava. Tímida e reprimida, cresci em uma cidade conhecida pela frieza de seus moradores, pela falta de sorrisos e pelo grande julgamento de todos. Atirem pedras quem quiser, mas aqui não tem quem não tenha sido criticado brutalmente por alguma atitude, por mais banal que tenha sido.

Demorei alguns (muitos) anos, mas aprendi que a aprovação dos outros não me fazia feliz, e que não importa o quanto você se esforce, alguém sempre vai te critivar. Deixei minha timidez de lado, parei de fazer as coisas pelos outros, e quando olho para uma cara feia respondo com um sorriso. Faço o que quero, e sei que sou muito mais julgada agora do que jamais fui, mas sou muito mais feliz por poder ser como sou do que viver uma mentira para agradar.

Minha dica é: desça do salto, venda aquela bolsa de marca que voce gastou 4 salários e faça uma viagem, não diminua uma mulher para parecer maior, não deixe de dançar por vergonha ou fique comendo alface ou tomando bomba para poder ser aceito. Seja você, se ame, se curta, se divirta, que se danem os outros, as pessoas sempre vão te julgar, portanto não viva para impressionar os outros, viva para impressionar a si mesmo.

Beijos

Thábata

12
mar

25 Planos

 

Resolvi voltar a fazer com mais frequência meus antigos textos do Baboseiras da Thábata. Vou pegar alguns temas e escrever, quem quiser sugerir qualquer tema fique a vontade. Hoje vou falar da minha sensação ao fazer 25 anos.

25 Planos

Com os meus temidos 25 anos chegando comecei a repensar minha vida. 1/4 de século, metade de 50, a cada dia mais perto dos 30. Há 10 anos atrás acreditava que era muito madura, que sabia de tudo na vida e me imaginava aos 25 anos uma advogada de sucesso, com um relacionamento estável pensando em casamento e toda minha vida encaminhada. Adivinhe só: amanhã é o temido dia e ao contrário do que esperava sou uma publicitária desempregada sem a menor idéia do que quer fazer da vida e sem o menor rastro de um namorado ou qualquer coisa parecida.

A verdade é que sou feliz, e muito. 25 anos hoje são uma realidade diferente, e tenho algumas certezas que não tinha a um tempo atrás. Não podemos planejar, podemos ter foco, mas saber o que vai acontecer amanhã já não é certo. Hoje sei que há 10 anos atrás (quando usava lentes de contato azuis e minha única obrigação era não pegar final em matemática) não era madura como imaginava e não tinha noção alguma do que é a vida e de como ela funciona – e provavelmente daqui a mais 10 ainda não saiba ao certo.

Idade é um número, planos são sonhos e a nossa percepção de vida muda a cada passo que damos. Que venham mais 25, tão intensos e proveitosos como estes foram.

Beijos

Thábata

 

Semana passada assisti um filme chamado “Procura-se um amigo para o fim do mundo”, e fiquei pensando naquela filme um bom tempo. Não é um dos melhores filmes que já assisti, longe disso, mas é um filme que me fez pensar bastante. Para acrescentar ontem, assistindo as tristes notícias do que aconteceu em Santa Maria, pensei nos vários jovens que perderam suas vidas de uma hora para outra, e como o mundo de cada um deles acabou.

Na história do filme todos sabem que um meteoro irá atingir a terra em um determinado tempo, assim muitos começam a fazer coisas que sempre quiseram (vão atrás de seus sonhos, amores perdidos e comem o que quiserem), e outros, coisas que sempre fizeram (vão ao trabalho, mantém a rotina).

O que fiquei pensando foi, será que todos os dias fazemos o que realmente queremos? Ao contrário do filme não sabemos quando o mundo – ou o “nosso mundo” – vai acabar, mas sabemos o que queremos. e se pudéssemos viver cada dia como se fosse o último e fizéssemos tudo o que quisermos sem preocupação (dentro da lei, logicamente). Sem ligar para julgamento. Sem viver para agradar os outros. Sem querer ser perfeito.

O que eu sugiro é assistam o filme, não o levem tão a sério pois o mundo não vai acabar, mas pensem a respeito. Se você acha que seu sonho é trair sua mulher, pense no por que está com ela, se seu sonho é fazer uma loucura, jogue tudo pra cima e faça. Pense no amanhã, mas não se prenda a isso, pense antes de tudo em você – ser um pouco egoísta as vezes não é um problema. Mas acima de tudo esqueça os julgamentos, o que os outros pensam, o problema é delas.

“No fim as pessoas vão te julgar de qualquer jeito. Não viva sua vida para impressionar os outros. Viva sua vida para impressionar a si mesmo.”

Beijos

Thábata

12
jul

Momentos

 

Entrando na fase mais racional da minha vida, me peguei pensando em diversas coisas, mas tem uma em especial que sempre subestimei a importância:  Momentos. Momentos são aquelas experiências que passamos que nos marcam por algum motivo – independentes de ruins ou bons – deixando cicatrizes importantes dentro de cada um de nós. O problema é que a maioria das vezes só nos damos conta de que algo foi importante, quando isto já acabou.

Minha intenção aqui é refletir sobre o lado ruim: o mau momento. Aquela fase terrível em que passamos diversas vezes – e ainda iremos passar várias – as quais achamos que nunca seremos capazes de superar.

O que temos que lembrar é que momentos são passageiros: se esta em um momento bom da sua vida, aproveite, pois temos que ser realistas e lembrar que isto não vai durar para sempre, mas o oposto também é valido. Se esta em um mal momento, sofra, faz bem, aprenda, mas não se esqueça de que uma hora isso passa e seu bom momento vai chegar.

Uma das frases mais inteligentes que já li dizia o seguinte: “Se uma pessoa sai da sua vida, não significa que ela seja uma má pessoa, significa somente que o papel dela na sua vida acabou.” Tudo nesta vida acontece por um motivo, se algo bom acabou, provavelmente é para dar a oportunidade de algo melhor acontecer.

Aproveite seus momentos ao máximo, e quando eles acabarem, é só se preparar para saber qual será o próximo.

Beijos

Thábata

 

 

Mais um texto reflexivo da autora em seus momentos de escritora…

Quanto conta o amor?

Não sei quantas vezes por dia me pego sonhando com o dia do meu casamento e com o sorriso apaixonado do meu príncipe encantado me esperando no altar, todos na festa em câmera lenta e só eu e ele, se olhando de longe e pensando o quanto somos felizes por termos um ao outro. Ponto final.

Mas e quanto ao amor? O amor um pelo outro? De duas pessoas reais que sentem que foram feitas para se completar? Pessoas reais com chulé, mau hálito matinal e com manias que te irritam? O amor é e faz parte de grandes momentos de nossas vidas, mas somente ele não faz relacionamento algum sobreviver. Já ouvi a respeito de várias pessoas que se amavam muito mas não aguentaram ficar juntas pelas diferenças. Muito nesta vida podemos relevar, mas até que ponto? Vale a pena brigar a vida toda? Acredito que relacionamentos devem ser saudáveis, eles são feitos para te fazer feliz, a partir do momento em que você chora mais do que sorri, algo esta errado. Preze por isto, faça um esforço, se ame antes de amar o outro e acima de tudo, se respeitem. Casais devem ser formados por duas pessoas que se amam, mas que também são melhores amigos, se respeitam e sabem lidar com os defeitos um do outro.

Não existe e nunca existirá um relacionamento perfeito, ou a pessoa perfeita. Podemos sonhar, mas temos que entender que é muito provável que estes sonhos de menina de encontrar um belíssimo cavaleiro sarado que sua mãe ama e dos homens de ter uma mulher gostosa para sempre, não aconteçam. É muito provável que algum dia você se apaixone por uma pessoa que um dia já achou ridícula, ou já foi seu melhor amigo. Por que não? Se ame acima de tudo, e assim, a pessoa que procura por você te encontrará e vocês serão imperfeitamente felizes juntos!


Beijos

Thábata

 

Acho que todos nós temos um filme da nossa vida, aquele que não importa quantas vezes assistirmos vamos sempre sentir um friozinho na barriga, saber algumas falas e nos imaginar como algum personagem.

Os filmes da minha vida são dois: Diário de uma Paixão ( The Notebook – 2004) e Austrália (Australia – 2008). Apesar de ambos tratarem o amor de pontos diferentes cada um me encanta por uma coisa. No primeiro a luta pelo amor verdadeiro, e até onde somos capazes de chegar e o que somos capazes de fazer para ter a pessoa amada ao nosso lado, independente das diferenças, das brigas e dos defeitos do outro. No segundo a coragem de fazer o que você deve e acredita, enfrentando seus medos, defendendo seus princípios e lutando pelo que é seu. Queria conseguir ser metade Noah (Ryan Gosling) e metade Lady Sarah Ashley (Nicole Kidman).

Mas, e se a nossa vida fosse um filme? Com certeza ele uniria todos os gêneros; comédia, romance, suspense, drama, aventura e quem sabe até um pouco de trash. E não só isso, de quantos filmes de outras pessoas faríamos parte? E neles, seríamos meros figurantes ou teríamos grandes papéis principais?

Temos vários filmes na nossa vida e ela completa é um longa-metragem fantástico composto por vários curtas onde nós somos os protagonistas e diretores e o destino o nosso roterista. O ápice de cada história seria onde enfrentamos o nosso maior desafio e o final de cada uma seria quando paramos no presente e pensamos “este é o meu final feliz”, depois seguimos em frente para enfrentar novos enredos em busca de mais finais felizes.

Beijos

Thábata

 

Vou postar mais um texto do Baboseiras da Thábata. Espero que gostem.

Destino ou Coincidência?

Quantas vezes não pensamos no nosso futuro? Em como vamos estar em 5, 20, 50 anos?

Com certeza cada um de nós ja traçou o próprio futuro diversas vezes e muitas coisas sempre acabam mudando, pois nossa vida segue por caminhos que na maioria das vezes desconhecemos. Quantas coisas novas não experimentamos que nos fazem perceber que as antigas não eram tão boas assim? Quantas pessoas não conhecemos ao longo da vida que nos fazem ver o mundo com outros olhos? Quantas experiências não vivemos que nos abrem a cabeça e mudam a nossa maneira de pensar? Seriam todas as coisas boas que vivemos mais prazerosas por termos todos vividos experiências ruins que aprendemos a superar?

Tudo isso seria ao acaso ou “algo” maior traça nosso caminho pois deve ser daquela maneira? Temos um destino traçado ou fazemos a nossa própria sorte?

Quem nunca foi a um lugar obrigado pelos amigos sem a menor vontade e chegando lá teve uma noite fantástica? Perdeu o horário e deu de cara com aquele amigo que não via a séculos? Ou até mesmo teve uma decepção amorosa achando que jamais se recuperaria e em seguida conheceu alguém especial?

A nossa vida é cheia de mistérios, medos, desafios e decepções, porém, não há experiência, seja ela boa ou ruim, que não nos ensine alguma lição, não nos agregue alguma coisa. Por isso viva a vida sem medos, sem vergonha, sendo exatamente como você é e mude seu futuro sempre que sentir vontade, pois quanto mais intensa essa jornada for, mais lembranças teremos para levar conosco.


Beijos

Thábata