Como fã de cinema me sinto na obrigação de assistir todos os tipos de filmes, mas sempre tenho meus favoritos. Apesar de o Brasil ser conhecido mundialmente no cinema por histórias tristes e da realidade nas favelas e na corrupção, eu sou grande fã das comédias nordestinas. Não foi fácil selecionar 6 filmes, tanto que a idéia original do post eram 5, mas não consegui deixar nenhum destes de fora. Tenho certeza que a grande maioria vai discordar com esta minha lista, mas estes são os 6 melhores filmes brasileiros na minha opinião.

 

6. Caramuru: A Invenção do Brasil (Guel Arraes – 2001)

Sinopse: Com Selton Mello, Deborah Secco, Camila Pitanga, Marco Nanini, Débora Bloch e Tonico Pereira o filme fala da descoberta de um novo mundo. Diogo (Selton) é um pintor contratado para desenhar um mapa mas acaba sendo punido e enganado e acaba deportado em uma caravela. Durante a viagem o navio acaba naufragando e por milagre Diogo se salva e chega ao litoral brasileiro. Neste local desconhecido e habitado por índios conhece duas belas índias Paraguaçu (Camila) e sua irmã Moema (Deborah). Nesta saia justa o pintor tem que se virar para fugir dos índios, ser aceito e entender todo este novo mundo.

Por que eu acho bom: Adoro a comédia, é legal por ser um filme de 12 anos atrás e como sempre Selton Mello está impecável e muito engraçado. Acho o elenco muito bom e a história criativa e elaborada.

 

5. Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora é Outro (José Padilha, 2010)

Sinopse: 13 anos depois do primeiro filme, o famoso Coronel Nascimento (Wagner Moura) é nomeado Subsecretário de Inteligência da Secretaria Estadual de Segurança Pública do Rio de Janeiro, graças a um acontecimento 4 anos antes, aonde o BOPE falha em uma operação dentro do presídio Bangu I. Com este episódio o filme toma toda a linha de acontecimento. Nascimento tem que lidar com a adolescência do filho, a separação da mulher e um novo inimigo: a política.

Por que eu acho bom: O que eu adoro neste segundo filme de Tropa de Elite é que Padilha mostra o que todos os brasileiros fingem que não vêem, o grande culpado por todos os problemas do país, a corrupção. De forma bem agressiva e descarada todo o filme é uma crítica, e o anti-herói interpretado por Wagner Moura é um grande exemplo do que todos deveriam ser.

 

4. Jogo de Cena (Eduardo Coutinho – 2006)

Sinopse: O diretor Eduardo Coutinho colocou um anuncio em um jornal que foi atendido por 83 mulheres contando suas histórias, destas histórias 23 delas foram selecionadas. Todo o filme se passa no teatro Glauce Rocha aonde Marília Pera, Fernanda Torres e Andréa Beltrão interpretam estas histórias não deixando claro quando estão atuando ou contando suas próprias experiências.

Por que eu acho bom: Ele é simples, genial e muito interessante. É aqueles filmes em que você assiste e sabe que cinema é muito mais do que grandes cenários e muito dinheiro, pode ser somente uma câmera, um bom ator e uma boa idéia.

 

3. Lisbela e o Prisioneiro (Guel Arraes, 2003)

Sinopse: Débora Falabella interpreta Lisbela, uma apaixonada por cinema que vive sonhando com os galãs de Hollywood, Selton Mello é Leléu, um malandro sedutor que apronta todas. Durante uma de suas aventuras Leléu chega a cidade de Lisbela, aonde a conhece e os dois logo se apaixonam, porém, a moça é noiva. Em meio aos problemas que esta paixão desperta, um matador interpretado por Marco Nanini esta atrás de Leléu, já que o mesmo teve um caso com sua esposa.

Por que eu acho bom: Por muitos motivos, primeiro Débora e Selton tem uma sintonia ótima nos seus papéis de pessoas do interior e seus sotaques, Marco Nanini esta sensacional como um durão matador. Toda a história tem um tom leve, as tiradas são muito boas e os personagens muito bem bolados. Uma ótima comédia.

 

2. Cidade de Deus (Fernando Meirelles, 2002)

Sinopse: A história se passa em uma das favelas mais violentas do Rio de Janeiro. Nela o jovem Buscapé (Alexandre Rodrigues) segue seu talento como fotógrafo como forma de fugir do destino da maioria dos que moram no local, a morte. Através do seu olhar pela câmera o filme mostra o dia a dia de muita violência, mortes e vingança na Cidade de Deus.

Por que eu acho bom: É um filme bem realista, aqueles que todos devem assistir. Ele nos tira da nossa zona de conforto e de um mundo de ilusões, e nos mostra que nosso país não é só o que vemos nas ruas. Chocante e pesado é um bom golpe de realidade do “país do carnaval”.

 

1. Saneamento Básico (Jorge Furtado, 2007)

Sinopse: Em uma pequena vila de descendentes de italianos na serra gaúcha, a população se reúne e decide que precisa urgente construir uma fossa para o tratamento de esgoto. A prefeitura afirma não ter verba para fazer a obra, porém, dispõe de 10 mil reais que o governo federal deu para a produção de um filme de ficção que se não for utilizado, terá que ser devolvido. Marina (Fernanda Torres) decide escrever o roteiro e realizar o filme com a ajuda de seu marido Joaquim (Wagner Moura), de sua irmã e aspirante a atriz Silene (Camila Pitanga), seu cunhado Fabrício (Bruno Garcia) e seu pai Antônio (Tonico Pereira). Ao perceber que fazer um filme é muito mais complicado do que pensavam buscam a ajuda do produtor, diretor e roteirista Zico (Lázaro Ramos).

Por que eu acho bom: Por que eu acho a melhor comédia brasileira. É ingênua, não tem apelação e o elenco é perfeito. Os atores interpretam papéis diferentes dos que costumam fazer e realmente convencem. A história é nova e engraçada, e também possibilita quem esta assistindo a entender que fazer um filme é realmente um grande trabalho.

 

Beijos

Thábata

Comentários

You must be Logue para postar um comentário