Arquivo para novembro, 2013

 

“Selfie” foi considerada pelo dicionário Oxford a palavra do ano de 2013. Para quem não sabe, “selfies” é o termo usado para chamar aquelas fotos que as pessoas tiram de si mesmas com smartphones, uma espécie de auto retrato fácil. Uma grande febre em todas as redes sociais.

Com esta nova moda, o jornal sul-africano Cape Times, teve uma ideia muito legal; transformar famosas fotos histórias em “selfies”. As vítimas da campanha foram o príncipe William e Kate Middleton, o beijo do marinheiro e da enfermeira na Times Square após o fim da segunda guerra mundial entre outros. O resultado foi super legal.

 

O famoso beijo na Times Square entre um marinheiro e uma enfermeira, em comemoração ao final da Segunda Guerra Mundial.

 

 

Foto do dia em que John Kennedy foi assassinado.  22 de Novembro de 1963, em Dallas no Texas.

 

 

Winston Churchill, primeiro ministro do Reino Unido durante a Segunda Guerra Mundial.

 

 

Foto do arcebispo Desmond Tutu, vencedor do Prêmio Nobel da Paz por sua luta contra o Apartheid.

 

 

O famoso beijo do príncipe William e Kate Middleton no dia de seu casamento.

 

Muito legal a idéia. A criação ficou por conta da Lowe South Africa.

Beijos

Thábata

 

Bonnie Ware, uma enfermeira especializada em cuidar de pacientes terminais, publicou nos Estados Unidos um livro que traz os maiores arrependimentos de pacientes a beira da morte: “The top five regrets of the dying”. Depois de ver uma reportagem sobre o livro da enfermeira americana resolvi trazer os 5 maiores arrependimentos das pessoas sem tempo de vida.

A minha principal intenção não é entender o por que estas pessoas sentiram isto, mas para vermos o que não fazer – ou deixar de fazer – para não podemos nos arrependermos quando não pudermos mais voltar atrás…

 

1. “Eu gostaria de ter tido coragem de expressar meus sentimentos.”

2. “Eu gostaria de ter mantido contato com meus amigos”.


3. “Eu gostaria de ter tido coragem de viver uma vida fiel a mim mesmo, e não a vida que os outros esperavam de mim.”

4. “Eu gostaria de não ter trabalhado tanto.”

5. “Eu gostaria de ter me deixado ser mais feliz”.

Muitos estudos dizem que as pessoas que tiveram a chance de fazer alguma coisa e não a fizeram sentem maior arrependimento.

E ai fica o dilema: É melhor nos arrependermos de ter feito algo ou de ter deixado de fazer?

Beijos

Thábata

* Este post já foi publicado em janeiro de 2012.

Tags:
Categoria:Blue, Borrowed, Old
Comentário:0